Top

Como usar o metrô em NY

Não se assuste ao olhar para o mapa da malha do metrô e suas ramificações, pois com jeitinho é possível entendê-lo! Aberto 24 horas, ele conecta praticamente todos os pontos de interesse de Nova York, então é uma maneira barata e eficiente para se locomover. A gente ajuda na missão com um guia básico para entender como ele funciona para você explorar o destino de boa e aproveitar o que há de melhor por lá!

Comprar o bilhete

Basicamente existem duas opções para ter acesso ao metrô, o bilhete de viagem única (US$3 por trajeto) e o MetroCard, um cartão que você só compra uma vez ($1) e pode recarregar de forma ilimitada, pagando menos pelo trajeto (US$2,75). Além disso, para quem vai ficar mais tempo na cidade, existe a opção de comprar o MetroCard por período: uma semana (US$32) ou um mês (US$121). Essas alternativas valem a pena se pretende usar o metrô como principal meio de transporte ao explorar o destino. A compra propriamente dita pode ser feitas nos guichês com atendentes que existem na entrada de algumas estações ou então nas maquininhas que estão presentes em todos os acessos ao metrô. Como se fosse um caixa eletrônico, a segunda opção é bem simples de operar, você escolhe o idioma (geralmente inglês ou espanhol) e pode pagar com cartão ou dinheiro.

Entender as direções

O sentido norte-sul é o mais usado para quem vai explorar Manhattan e arredores. E não tem segredo, basicamente o turista precisa olhar no mapa e entender se, a partir do ponto de embarque, ele vai precisar subir ou descer para chegar aos destino. Isso é o que vai definir a direção da linha que ele deverá tomar: downtown ou uptown. Para os trajetos leste-oeste vale a mesma orientação, mas com ressalvas, pois algumas linhas fazem curvas e costumam exigir mais baldeações (trocas de trens). Nos dois casos, não se assuste se perceber que mais de uma linha atende sua necessidade, pois muitas delas acabam passando pelos mesmos pontos. Vale lembrar também que as linhas são identificadas por letras e números, como A, B, C, 1, 2 ou 3, entre outras.

Dica: O google maps, aliás, funciona muito bem na hora de planejar o trajeto. Mesmo se não tiver internet o tempo todo, vale a pena simular o caminho aproveitar o Wi-Fi do hotel ou de um dos muitos Starbucks da cidade e salvar para usar como um guia. Ele indica apenas as estações, sem informar as direções, mas isso você já aprendeu acima! Ou então, baixar todo o mapa da cidade offline, o que será útil também na hora dos trajetos a pé.

Escolher a estação

O metrô de Nova York não é como o de São Paulo, onde algumas estações para diferentes linhas são interligadas e há várias entradas para o mesmo ponto de embarque. Isso pode acontecer na cidade americana, mas está longe de ser regra. É importante ficar ligado nas placas acima das escadarias que dão acesso ao metrô, pois é lá que está indicado para quais linhas e sentidos serve a entrada. Escolher a primeira que aparecer e pensar “lá embaixo eu me encontro” pode ser uma roubada. Existem vários acessos para linhas diferentes muitas vezes bem pertinho um do outro, mas sem conexão.

Embarcar no trem certo

Você seguiu todas as orientações, está na plataforma esperando, de repente, chega o trem de uma linha diferente da que deseja. Não, você não errou o caminho: em Nova York é comum mais de uma rota utilizar a mesma plataforma de embarque. Justamente por isso é importante ficar de olho nos letreiros da estação e na sinalização na frente do trem que informam qual metrô está chegando. Outra informação importante é a indicação “local” e “express”. A primeira significa que o metrô vai parar em todas as estação do caminho; já a “express” significa que ela vai pular algumas para chegar mais rápido às estações finais. Isso geralmente acontece em linhas que ligam Manhattan e arredores, como Brooklyn, para facilitar a vida dos locais que querem chegar logo em casa ou no trabalho.

Achar a saída ideal

Os endereços de Nova York sempre vem indicados com east ou west e o turista deve gravar essa informação sobre o seu destino. Esse dado e o nome da rua são essenciais para identificar pelas placas qual a saída ideal. E fique atento já na plataforma de desembarque, logo após sair do metrô, pois muitas vezes existem escadas específicas para cada ponto da região.

Andar de metrô em Nova york não é nada de outro mundo, basta planejar, prestar atenção e seguir as indicações. Assim, dá para gastar pouco e chegar no seu destino rapidinho, sem perrengues!

Publicar Comentário