Top

Sete museus sobre história negra e indígena para visitar sem sair de casa

Guilherme Soares Dias

A quarentena do coronavírus pegou o mundo todo de calças curtas e nos prendeu em casa. Mas há uma série de museus que abriram tours virtuais para visitarmos sem sair casa. A dica também vale para aqueles lugares que a gente teria dificuldade ($) de visitar mesmo quando tudo isso passar, incluindo aqueles museus europeus que se sustentam com as peças ~roubadas~ do Egito. Selecionamos sete museus que contam a história negra e indígena para visitar sem sair do seu isolamento. Confira:

1 – Museu Afro Brasil – (São Paulo, Brasil)

Localizado no Parque Ibirapuera, em São Paulo, destaca a perspectiva africana na formação do patrimônio, identidade e cultura brasileira, celebrando a memória, história e a arte afro-brasileira. Considerado o melhor museu da diáspora-africana por especialistas, abriga mais de 6 mil obras em 11 mil metros quadrados, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas, de autores brasileiros e estrangeiros, produzidos entre o século XVIII e os dias de hoje. Faça o tour virtual aqui.

2 – British Museum – (Londres, Inglaterra)

Um dos museus mais icônicos do mundo e que recebe milhares de turistas todo ano. Na visita você encontra centenas de artefatos de antigas civilizações da Ásia, África, Américas, Europa e Oceania. Quando visitei, o que mais me impressionou foram as múmias egípcias, mas dá para conhecer também o pano de algodão da bogolanfini, que é uma técnica da África Ocidental conhecida como tira estreita. Ao entrar no site, você pode escolher quais obras deseja ver, guiando pelo mouse do computador ou na tela do celular, e ainda encontra uma explicação sobre cada um dos artefatos. Faça o tour virtual aqui.

3 – Museu Nacional de Antropologia – (Cidade do México, México)

O museu é dedicado especialmente à arqueologia e história pré-hispânica do México, ou seja, antes da chegada dos espanhóis. Considerado um dos orgulhos dos mexicanos, é grande, tem boa curadoria e abriga 23 salas de exposições que representam aspectos detalhados da civilização maia, que faz parte dos chamados povos pré-colombianos. Apesar de narrativas históricas e culturais controversas dos povos pré-hispânicos apresenta obras sobre a cultura, rituais religiosos e costumes.  Faça o tour virtual aqui.

4- Museu Nacional de História e Cultura Afro-Americana (NMAAHC) – (Washington, EUA)

O único museu dos Estados Unidos dedicado exclusivamente à documentação da vida, história e cultura afro-americanas, foi inaugurado pelo ex-presidente Barack Obama em 2016 e levou mais de um século para abrir suas portas, desde que em 1915 um grupo de veteranos afro-americanos da Guerra Civil propôs uma iniciativa para preservar suas contribuições à nação. A arquitetura do prédio é inspirada em coroas utilizadas em países da África ocidental e fica localizado na avenida National Mall, em Washington, considerada “o jardim da América”, por abrigar 20 museus dedicados à história do país, conta com mais de 37 mil objetos. Faça o tour virtual por aqui.

5 – Johannesburg Art Gallery – (Johanesburgo, África do Sul)

Desde a abertura de suas portas em 1915, a casa nos arredores de Joubert Park, permanece no epicentro das artes de Joanesburgo. O museu possui a maior coleção pública de arte moderna e contemporânea na África Subsaariana. Abriga obras sul-africanas do século XIX, uma grande coleção contemporânea de arte sul-africana e internacional do século XX e um portfólio de impressão contendo obras da Século 15 até o presente. Atualmente, o foco principal da curadoria é a arte contemporânea africana e sul-africana. Faça o tour por aqui.

6 – Egyptian Museum – (Cairo, Egito)

O Museu de Antiguidades Egípcias abriga uma extensa coleção de antiguidades e é o mais importante do Egito. Apesar de várias peças da civilização terem sido surrupiadas e se encontrarem expostas em museus como Louvre (Paris), British Museum (Londres), Hermitage (São Petesburgo, Rússia), entre outros, o Egypitian Museum possui 120 mil itens, com uma quantidade representativa em exibição, tornando-se até um pouco confuso pela grande quantidade. O edifício é um dos maiores museus da África e fica localizado na Tahir Squarte, uma das principais praças do centro do Cairo, que foi palco dos protestos da primavera árabe. Faça o tour virtual aqui.

7 – Museu de Arte Moderna (MAM) – (Salvador, Brasil)

Se o Museu Afro-Brasileiro (Mafro), localizado no Pelourinho, ainda não abriu visitas virtuais, a nossa dica é passear pelo MAM sem sair de casa. Localizado no Solar do Unhão, sítio histórico do século XVIII, que abrigou em sua arquitetura original uma senzala. Fundado no início da década de 1960, possui oito salas de exposição, teatro, cinema e biblioteca. É fato que os artistas brancos como Tarsila do Amaral, Portinari, Di Cavalcanti ganham mais destaque. Mas não é raro encontrar esculturas como o navio negreiro, feito por Alberto Pita, ou mesmo obras de Emanuel Araújo, Rubem Valentim e até do controverso artista argentino Carybé, que ganhou notoriedade esculpindo orixás. Para além das artes feitas por pessoas, a vista do pôr-do-sol com a comunidade do Solar do Unhão e a baía de todos os santos ao fundo valem a visita. Faça o tour virtual aqui.

Publicar Comentário